Área do associado
E-mail:
Senha:
ACESSAR RECUPERAR A SENHA
Ainda não tem cadastro? Clique aqui.

Aconselhamento genético deve ocorrer durante o planejamento da gestação

Diagnóstico contribui para prevenção de anormalidades e malformações congênitas 
 
Casais que apresentam antecedente pessoal ou história familiar de alguma anormalidade potencialmente genética podem ser encaminhados para o aconselhamento genético. O ideal é que o atendimento ocorra ainda durante o planejamento da gestação, desta forma, o médico geneticista auxilia na melhor abordagem para o diagnóstico pré-natal e para o manejo das anormalidades fetais.
 
- Existem algumas indicações para o encaminhamento do casal, como a idade materna avançada, histórico familiar de síndromes e doenças metabólicas, por exemplo. O diagnóstico contribui para tranquilizar os casais em risco quando se exclui a possibilidade de uma alteração suspeita, assim como para o planejamento do nascimento e tratamento indicado - explica a geneticista associada da Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM), Maria Teresa Vieira Sanseverino.
 
Malformações congênitas e fetais; perdas gestacionais repetidas; consanguinidade; exposição ocupacional a químicos ou radioativos; cardiopatia fetal e teste do DNA fetal alterado na circulação materna, são outros aspectos que podem sugerir o atendimento com o especialista.
 
Maria Teresa reforça que a confirmação de uma anormalidade detectada durante a gestação será importante para o planejamento futuro do casal e, quando identificado um risco de recorrência elevado, abre a possibilidade de alternativas para prevenção.
 
Procure seu médico geneticista titulado