Área do associado
E-mail:
Senha:
ACESSAR RECUPERAR A SENHA
Ainda não tem cadastro? Clique aqui.

Fator genético corresponde a 10% dos casos de câncer de próstata

Publicada em: 01/11/2018
Identificação precoce da doença permite, além do sucesso do tratamento, aconselhamento familiar para indicar indivíduos com risco aumentado da doença
 
O câncer de próstata é um dos principais entre os homens, representando a causa da morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil ocorre um óbito a cada 38 minutos em decorrência da doença. Entre os diversos fatores que podem desencadear a patologia, em 10% dos casos existe um fator genético hereditário.
 
- Todo indivíduo com câncer de próstata metastático ou com histórico familiar, particularmente desse tipo, ou de mama, ovário e pâncreas, deve procurar um médico geneticista para uma avaliação – explica o diretor de relacionamento da Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM), Diogo Cordeiro de Queiroz Soares.
 
A identificação dos tumores hereditários possibilita a adoção de estratégias de prevenção e redução de risco para o paciente. Além disso, também viabiliza o aconselhamento genético da família, identificando outros indivíduos com risco aumentado para o desenvolvimento de neoplasias.
 
Ainda conforme os dados atualizados do INCA, estima-se que o país registre mais de 68 mil casos novos de câncer de próstata para cada ano do biênio 2018/2019. As regiões com maior incidência são, por ordem decrescente de ocorrências, Sul (96,85/100 mil); Sudeste (69,83/100 mil); Centro-Oeste (66,75/100 mil); Nordeste (56,17/100 mil) e Norte (29,41/100 mil).
Procure seu médico geneticista titulado