Área do associado
E-mail:
Senha:
ACESSAR RECUPERAR A SENHA
Ainda não tem cadastro? Clique aqui.

Verão exige cuidado especial para pessoas pessoas portadoras de albinismo

Publicada em: 05/12/2018
 
 
Condição genética inibe a produção de melanina, o pigmento que dá cor a alguns órgãos e nos protege da radiação do sol
 
Apesar de não haver estatísticas oficiais no brasil, o albinismo é motivo de preocupação para médicos geneticistas e de outras especialidades relacionadas, como a dermatologia. Segundo o médico geneticista e diretor de relacionamento da Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM), Diogo Soares, diversos genes podem estar envolvidos nas causas da doença, sendo que cada um destes fornece instruções específicas para a produção de várias proteínas envolvidas na produção de melanina.
 
- A melanina é produzida por células chamadas melanócitos, que são encontrados na pele, no cabelo e nos olhos, devido a mutação genética, pode ocorrer a ausência total ou uma diminuição significativa na quantidade de melanina produzida pelo corpo, levando aos sinais e sintomas clássicos do albinismo - afirmou.
 
Mesmo cobrindo o corpo com roupas, a pele é muito mais sensível que a de uma pessoa sem essa alteração genética, por isso, os cuidados precisam ser redobrados. Se isso for feito desde a infância, chegarão à idade adulta sem danos na pele. A prevenção é a chave de tudo quando se fala em albinismo. Segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), Clarissa Prati, é indispensável que sejam adotados cuidados especiais.
 
- O albinismo é uma doença geneticamente determinada que implica em uma alteração na melanina que é o pigmento que protege as células da pele, dos olhos e dos cabelos das ações das irradiações ultravioleta. Exatamente por isso, o paciente com albinismo deve ter um cuidado extremo, usando medidas físicas como camisetas, chapéu, óculos de sol e fotoprotetores e evitando ao máximo os horários que a radiação ultravioleta é mais incidente que é das 10h às 16h. Além disso, os pacientes devem ficar atentos às alterações na sua pele como sinais, pintas ou pequenas lesões que sangram e não cicatrizam porque o número de casos de câncer ao longo da vida entre estes pacientes pode ser muito grande e, em geral, são agressivos - disse.
 
É importante que consultas dermatológicas sejam feitas periodicamente, assim, todas as recomendações podem ser feitas de forma consistente, a pele examinada e as dúvidas esclarecidas. É também importante a consulta com médico geneticista para aconselhamento genético.
Procure seu médico geneticista titulado






Nossa sede: Rua São Manoel, 456/303 - Porto Alegre / RS
CEP: 90620-110